VAULT fala sobre crescimento do mercado de blindagem arquitetônica

O mercado de blindagem arquitetônica deu um salto expressivo no Brasil nos últimos 15 anos. Com taxa de crescimento anual estimada em 35%, o setor, que antes supria exclusivamente a classe A, passou rapidamente a atrair clientes da classe média. Mas ainda tem potencial para ampliar o seu escopo de atuação, desenvolvendo projetos para casas lotéricas, agências bancárias, salas comerciais, construtoras e galpões industriais. As construtoras podem contribuir para incrementar ainda mais esse mercado, já que em muitos casos os projetos de blindagem arquitetônica passaram a fazer parte do escopo das obras, funcionando como chamariz para vendas dos imóveis. Segundo Cristiano Vargas, diretor comercial da VAULT, o tipo de encomenda varia conforme a região.

“Em São Paulo, a demanda é maior por porta blindada por causa da onda de arrastões a prédios. Já no Rio de Janeiro existe uma grande procura por blindagem de vidros das fachadas por causa de balas perdidas”. Vargas calcula entre 400 e 450 o número de obras atendidas pela Vault por ano. As oportunidades são boas também nos empreendimentos logísticos pelo fato de os galpões serem alvos de assaltos e roubo de carga, mas é do atendimento direto ao consumidor pessoa física que advém a maior parte dos negócios da empresa com blindagem arquitetônica.

Segundo ele, nos dois primeiros meses deste ano o mercado manteve o ritmo do mesmo período de 2014, mas a quantidade de pedidos cresceu bastante a partir de março e a expectativa da empresa é de fechar 2015 com incremento de 35%.

Uma deles é o SBOX, um servidor único capaz de controlar até 10 portas e monitorar até 24 câmeras IPs. “O produto foi desenvolvido especialmente para atender ao mercado de pequenos negócios e vai desmistificar o uso do controle de acesso”, afirma Gustavo Rizzo, diretorexecutivo da empresa.

Fonte: Valor Econômico