O maior acesso aos serviços de saúde em todo o País tem levado as instituições a investir mais em segurança para garantir maior tranquilidade tanto para pacientes como para as equipes médicas. Assim, o hospital contemporâneo passa a ter mais controle de acessos às dependências, abrindo um novo nicho para o mercado de segurança eletrônica em todo o Brasil.

Hoje, centros de excelência e referência no setor no País como os hospitais São Luiz, Albert Einstein e Sírio Libanês já utilizam tecnologias que permitem o controle mais eficiente do fluxo operacional – seja de pessoas ou de medicamentos. Os sistemas de acesso físico conferem alto nível de controle da circulação de pessoas em áreas sensíveis, tais como farmácia, necrotério, centros cirúrgicos, etc. Agora, a rede Unimed começa a implementar a tecnologia integrada da empresa Vault , capaz de gerenciar todas as áreas de modo a tornar a operação mais segura.

De acordo com o diretor de vendas e marketing da companhia, Rodrigo Cagnato, a área de saúde para o mercado de segurança eletrônica é muito importante. “Temos desenvolvido solução específica para esse mercado, até mesmo com a expectativa de que surjam novos hospitais no País. Temos parceria com a L+M, um escritório de arquitetura de ambientes médicos, que aponta o futuro dos hospitais com novas soluções”, ressalta

Na opinião do diretor, os hospitais têm cada vez mais demandado controle de visitantes a pacientes, além da atenção ao acesso a itens na área de farmácias e medicamentos de urgência. “Tudo isso faz parte do dia a dia de clínicas de saúde, e cada vez mais se requer controle sobre isso”.

Cagnato destaca que a empresa trabalha com a implantação de soluções de gestão de controle e segurança integrada para algumas unidades da rede de cooperativas Unimed, além dos hospitais Sabará e AC. Camargo, por exemplo. “Todos os clientes ainda são em São Paulo e há pedidos de projetos de gestão integrada, em que é possível adotar um sistema que permita o controle das câmeras da maternidade, dos leitos, do acesso aos estacionamentos e outros ambientes”.

Monitoramento de imagem

A preocupação com a violência, roubos e furtos tem feito com que a procura por monitoramento de imagem nos espaços de saúde seja cada vez maior no País, realmente. Mais adotadas pelos hospitais privados, as técnicas de captação e controle por meio de câmeras, ou até mesmo por acesso biométrico e scanner de retina surgem como resposta para o setor oferecer maior conforto e bem-estar aos pacientes e colaboradores, crê o diretor de vendas e marketing da Vault.

Rodrigo Cagnato ainda lembra que fora do Brasil, o mercado de tecnologia de rastreamento de imagens para a área médica é bastante comum. “É possível saber onde está cada aparelho, quem utilizou cada equipamento do hospital. São tendências operacionais e o empreendimento ganha no funcionamento, diminuindo custos fixos e aumentando a experiência em cada área. A ideia é que cada unidade trabalhe em sinergia: o restaurante, a área de triagem, o centro cirúrgico. Tudo deve estar funcionando de forma harmônica.

A segurança ajuda na eficiência desse processo”.

De forma geral, os empreendimentos médico-hospitalares têm visto no Brasil a necessidade de aumentar o controle de acesso de determinadas áreas. Se o local permite apenas três visitantes por vez, com o controle de acesso o sistema se encarrega de controlar tudo, quem chegou, em qual horário e quando saiu. No lado da entrega de medicamentos, a tecnologia também está presente. É possível acompanhar quais dos enfermeiros e médicos autorizados tiveram acesso aos armários de remédios, principalmente aqueles com tarja preta – os mais controlados.

Segundo o diretor-executivo da Vault, Gustavo Rizzo, no caso específico da solução da companhia é propiciada uma gestão eficiente, capaz de apontar até mesmo o número de visitantes por leito que estiveram ou que têm permissão para estar no hospital. “Não existe mais aquela questão de acesso rápido e sem controle”. O diretor aponta que hoje, a empresa trabalha atendendo a cooperativas e entidades particulares, mas está sempre de olho em oportunidades no meio público. “Sempre há projetos de atualização de sistemas ou de retrofit (reformas)”.

Feira Hospitalar

Com a previsão de crescer 25% este ano, também puxada pela área de saúde, a Vault participará da Feira Hospitalar 2015, prevista para acontecer no Expo Center Norte, em São Paulo.

O evento será realizada entre os dias 19 e 22 de maio e na ocasião, a Vault estará com a L+M, especializada em arquitetura para hospitais. Com 600m², o estande da empresa irá apresentar um projeto de “Hospital Contemporâneo”, onde a Vault terá a oportunidade de simular o funcionamento de uma plataforma integrada de controle de acesso, incluindo sistemas de videomonitoramento, leitores de cartões, leitoras biométricas, entre outros.

“Mostraremos que nossas soluções têm alta capacidade de prevenir e mitigar perdas ou ocorrências que ponham em risco ativos, funcionários e pacientes de hospitais, clínicas e laboratórios. O evento será uma boa oportunidade de nos aproximarmos do segmento hospitalar”, afirma Rizzo.

Fonte: DCI