A VAULT, empresa especializada em Barreiras Físicas de Alta Segurança (Equipamentos Blindados, Bollards e Projetos Especiais) e Sistemas Integrados de Segurança (Controle de Acesso, CFTV e Alarmes), acaba de implantar uma representação direta no México, a primeira na América Latina, com a contratação do profissional colombiano Daniel Villada, especializado em planejamento, suporte e controle de engenharia pela National University of Colombia. Além de identificar e captar novas oportunidades de negócios, Villada irá acompanhar de perto todos os integradores, distribuidores locais e clientes finais usuários das soluções, oferecendo suporte técnico comercial ao mercado mexicano.

Antes de dar início às suas atividades, Daniel Villada passou por um intenso treinamento no Brasil com foco na plataforma de controle de acesso da VAULT, envolvendo sistemas como leitoras biométricas, fechaduras eletrônicas, controladoras de elevadores e catracas, entre outras diversas soluções. “Sabemos que essa proximidade traz muito ganho ao mercado. Queremos apoiar os clientes não só como vendedores de soluções, mas, principalmente, como especialistas em controle de acesso, oferecendo o que há de melhor e mais adequado para cada projeto”, enfatiza Rodrigo Cagnato, Diretor de Vendas e Marketing da VAULT.

A ação representa o início efetivo da participação da VAULT no mercado mexicano, onde a empresa participou, em abril, do evento EXPOSEGURIDAD 2015, apresentando seus produtos de Barreiras Físicas e Sistemas Eletrônicos. “A expansão pelo mercado latinoamericano identificou uma forte demanda por sistemas de segurança no México. A estratégia para se fixar nesta região foi contar com o suporte de fornecedores que já haviam se estabelecido no local”, frisa Cagnato.

A VAULT já instalou equipamentos de segurança em seis países, envolvendo blindagem, controle de acesso e videomonitoramento: Chile, República Dominicana, Trinidad e Tobago, Estados Unidos, Nigéria e Cingapura, e tem planos de chegar a Europa. “Com a primeira representação no exterior, a meta para o próximo ano é aumentar o volume de negócios externos em 30%, e continuar o plano de expansão, principalmente, na América Latina”, finaliza Cagnato.